Acampamento e trilha na restinga

Nesse último final de semana decidimos unir uma outra experiência as nossas trilhas: fizemos um acampamento.

Já vínhamos acompanhando o cenário e estrutura do Camping Recanto Remor @recantoremor, localizado no Rio Tavares, em Florianópolis, e como queríamos muito fazer a trilha da coruja buraqueira, ali perto, resolvemos unir as duas atividades no final de semana.

Chegamos no sábado após o almoço e a escolha do local e montagem da barraca já foram uma aventura para as crianças. O camping conta com bons espaços em meio à natureza para montar a barraca e também espaço para estacionar, trailers e motorhomes. Além disso, banheiros, cozinha e acesso a Lagoa Pequena e à praia.

No final da tarde de sábado fizemos um passeio até as dunas, próximo à praia, onde as crianças puderam brincar bastante e presenciamos um pôr do sol maravilhoso. À noite não podia faltar a brincadeira com lanternas dentro da barraca.

No domingo levantamos bem cedinho para fazer a trilha da coruja buraqueira, um caminho que atravessa o Parque Natural Municipal das Dunas da Lagoa da Conceição. O parque foi criado em 2018 e é uma área de proteção integral, com o objetivo de preservar o ecossistema ali presente, contribuindo para a manutenção da diversidade biológica e a beleza cênica do local.

Partimos da Lagoa da Conceição, Avenida das Rendeiras na altura do número 622. O começo da caminhada foi pelas dunas, mas logo a frente encontramos, à direita, a trilha que contorna um campo de futebol que há ali. Deste ponto em diante o caminho é bem marcado e vai cruzando outras inúmeras trilhas que levam do Porto da Lagoa e do Rio Tavares até a praia.

O cenário é belíssimo, com vegetação bem característica da restinga. Uma planta que nos encantou foi a Paepalanthus polyanthus, também conhecida como Sempre viva chuveirinho e que formava lindos jardins naturais, misturada a flores de diversas cores.


No Guia Ilustrado da Flora da Restinga de Santa Catarina, de Ricardo Wabner Binfaré e Daniel de Barcellos Falkenberg (ACESSE AQUI) pudemos identificar muitas das espécies que encontramos ao longo da caminhada.

Logo no começo da trilha encontramos três corujas buraqueiras, esta espécie que dá nome a trilha e é conhecida assim porque tem o hábito de fazer seu ninho em buracos no chão. Além dela, várias outras espécies de aves deixam o lugar ainda mais bonito.

Passamos por um único trecho mais alagado, mas estávamos de botas e foi uma passagem bem tranquila.

Já no trecho mais próximo a praia, chegando de volta ao camping, passamos por uma cruz erguida em homenagem a um padre que morreu afogado naquela região, em 1961. Até hoje algumas lendas rondam esse local.

Com um trecho de subida na duna, a principal dificuldade está na distância percorrida, com o final pela areia mais fofa. Até o camping fechamos em 7,5 km, realizados em 3 horas. Acreditamos que em períodos mais quentes do ano, deva ser uma trilha mais difícil.

Para se aprofundar sobre a restinga, sugerimos assistir a videoaula do curso sobre ecossistemas de Florianópolis promovido pela Floram.

#restinga #corujaburaqueira #trilhas #camping #recantoremor #faunafloripa #florafloripa #floram

40 visualizações2 comentários