Caminho da Santa Cruz


Nossa última caminhada na natureza tinha sido no dia 15 de março. Logo depois, naquela semana, o isolamento por causa da COVID-19 iniciou e a gente passou a curtir a natureza pela janela.

Como as regras de isolamento vêm sendo flexibilizadas em Santa Catarina e atividades ao ar livre liberadas com algumas restrições, escolhemos uma trilha menos conhecida para voltarmos para a natureza. Unimos o Caminho da Santa Cruz ao Caminho do Forte para fazer uma trilha circular entre as praias da Daniela e do Forte, norte da ilha de Santa Catarina.

Vários locais podem ser o início desta #caminhada, mas nós escolhemos desta vez deixar o carro na Praia do Forte e iniciamos a subida pela Fortaleza de São José da Ponta Grossa. A principal dificuldade foi neste trecho inicial, pois saímos da beira da praia e chegamos a 110 metros, porém é uma subida tranquila (lembrando que estávamos de máscara).

É uma caminhada por cenários belíssimos, mas em especial dois pontos se apresentam como mirantes naturais, com vista belíssima por um lado para a Praia de Jurerê e pelo outro para a Praia da Daniela e ilha de Anhatomirim.

Um atrativo a parte é a fauna da região. As crianças se encantaram por poder observar de pertinho gralhas azuis, urubus de cabeça vermelha e gaviões. Retornamos da Praia da Daniela pelo caminho que segue a beira do mar, uma delícia de passeio.


Nesta trilha também é possível conhecer um pouco da história de Florianópolis, pois é possível ver os três fortes que fazem parte do triângulo de defesa da Ilha de Santa Catarina. Planejado pelo brigadeiro José da Silva Paes, é composto pelas fortalezas de Santa Cruz de Anhatomirim, começado a construir em 1739, fortaleza de Santo Antônio de Ratones e São José da Ponta Grossa, cujas obras iniciaram em 1740.

"As defesas da Ilha de Santa Catarina e do Rio Grande de São Pedro em 1786 de José Correia Rangel".

O objetivo era bloquear o acesso a baía norte. Eram feitas de pedra e cal, sendo a cal proveniente das conchas de ostras e mexilhões nas caieiras da cidade. Diferem das demais fortalezas construídas no século XVIII pois eram aproveitadas as declividades do terreno para construção das muralhas e prédios.

Apesar do belo projeto, essas fortalezas se mostraram ineficientes para impedir a invasão da Ilha. Em 1777, uma enorme esquadra espanhola chegou à Ilha e aportando na praia de Canasvieiras, seguiu por terra à Fortaleza de São José da Ponta Grossa, sendo tomada sem disparar nenhum tiro. Assim, por cerca de um ano, Florianópolis foi controlado pelos espanhóis.

Nesta época de pandemia, é legal lembrar que essas fortalezas também serviram como local para quarentena de recém chegados a ilha que apresentassem algum sintoma de doença contagiosa.

Desta vez, as fortalezas estavam fechadas, mas é um passeio que vale muito. Em breve falaremos mais sobre elas aqui.

Nesta época de pandemia, é legal lembrar que essas fortalezas também serviram como local para quarentena de recém chegados a ilha que apresentassem algum sintoma de doença contagiosa.

Desta vez, as fortalezas estavam fechadas, mas é um passeio que vale muito. Em breve falaremos mais sobre elas aqui.


#familianatrilha #descubrafloripa #natureza

24 visualizações1 comentário