top of page

Caminho da Santa Cruz


Nossa última caminhada na natureza tinha sido no dia 15 de março. Logo depois, naquela semana, o isolamento por causa da COVID-19 iniciou e a gente passou a curtir a natureza pela janela.

Como as regras de isolamento vêm sendo flexibilizadas em Santa Catarina e atividades ao ar livre liberadas com algumas restrições, escolhemos uma trilha menos conhecida para voltarmos para a natureza. Unimos o Caminho da Santa Cruz ao Caminho do Forte para fazer uma trilha circular entre as praias da Daniela e do Forte, norte da ilha de Santa Catarina.

Vários locais podem ser o início desta #caminhada, mas nós escolhemos desta vez deixar o carro na Praia do Forte e iniciamos a subida pela Fortaleza de São José da Ponta Grossa. A principal dificuldade foi neste trecho inicial, pois saímos da beira da praia e chegamos a 110 metros, porém é uma subida tranquila (lembrando que estávamos de máscara).

É uma caminhada por cenários belíssimos, mas em especial dois pontos se apresentam como mirantes naturais, com vista belíssima por um lado para a Praia de Jurerê e pelo outro para a Praia da Daniela e ilha de Anhatomirim.

Um atrativo a parte é a fauna da região. As crianças se encantaram por poder observar de pertinho gralhas azuis, urubus de cabeça vermelha e gaviões. Retornamos da Praia da Daniela pelo caminho que segue a beira do mar, uma delícia de passeio.


Nesta trilha também é possível conhecer um pouco da história de Florianópolis, pois é possível ver os três fortes que fazem parte do triângulo de defesa da Ilha de Santa Catarina. Planejado pelo brigadeiro José da Silva Paes, é composto pelas fortalezas de Santa Cruz de Anhatomirim, começado a construir em 1739, fortaleza de Santo Antônio de Ratones e São José da Ponta Grossa, cujas obras iniciaram em 1740.

"As defesas da Ilha de Santa Catarina e do Rio Grande de São Pedro em 1786 de José Correia Rangel".

O objetivo era bloquear o acesso a baía norte. Eram feitas de pedra e cal, sendo a cal proveniente das conchas de ostras e mexilhões nas caieiras da cidade. Diferem das demais fortalezas construídas no século XVIII pois eram aproveitadas as declividades do terreno para construção das muralhas e prédios.

Apesar do belo projeto, essas fortalezas se mostraram ineficientes para impedir a invasão da Ilha. Em 1777, uma enorme esquadra espanhola chegou à Ilha e aportando na praia de Canasvieiras, seguiu por terra à Fortaleza de São José da Ponta Grossa, sendo tomada sem disparar nenhum tiro. Assim, por cerca de um ano, Florianópolis foi controlado pelos espanhóis.

Nesta época de pandemia, é legal lembrar que essas fortalezas também serviram como local para quarentena de recém chegados a ilha que apresentassem algum sintoma de doença contagiosa.

Desta vez, as fortalezas estavam fechadas, mas é um passeio que vale muito. Em breve falaremos mais sobre elas aqui.

Nesta época de pandemia, é legal lembrar que essas fortalezas também serviram como local para quarentena de recém chegados a ilha que apresentassem algum sintoma de doença contagiosa.

Desta vez, as fortalezas estavam fechadas, mas é um passeio que vale muito. Em breve falaremos mais sobre elas aqui.


66 visualizações1 comentário

Kommentare

Kommentare konnten nicht geladen werden
Es gab ein technisches Problem. Verbinde dich erneut oder aktualisiere die Seite.
bottom of page